segunda-feira, 8 de maio de 2017

Tutorial de montagem Fonte Ajustável 30V 5 Amper MOSFET

A proposta dessa fonte ajustável é entregar um tensão limpa e regulada na saída com algo entorno de 1% de instabilidade ou menos, tendo um ajuste de corrente e  limitação de corrente, bem próximo dos modelos de bancada com estas funções, a placa pode ser adquirida em nossa loja clicando comprar placa AQUI.

As funções de CV e CC geralmente são agregado circuito complementares, que visa proteção e segurança ao operador do equipamento na bancada, neste circuito lançamos mão de alguns arranjos que garante os ajustes e proteções necessárias ao bom funcionamento, desde que observados alguns pontos importantes para que o resultado seja o mais próximo possível da sequencia de montagem abaixo. (clique nas imagens para aumentar)


Iniciando a montagem, tenha todos os componentes e ferramentas necessárias a montagem, pré forme os terminais dos componentes, para que facilitem sua inserção nos furos da PCI, comece pelos jumpers e diodos zeners, jumpers são feitos de fio rígido 0,5mm ou até mesmo sobra dos terminais dos diodos, diodos de 13V para a fonte auxiliar de 12V (12,4V) e o da fonte de 5V do sistema, o diodo é intercalado em série com o regulador 78L05 para que a faixa de tensão do regulador fique dentro da permitida pelo fabricante do componente. Essa tensão de 5V será utilizada pelo circuito amplificador de tensão, amplificador de corrente, tensão de referencia dos ajustes, assim como a alimentação do CI operacional que empregamos no circuito da fonte.

Resistores de 1/8W, resistor Shunt, Trimpot, e capacitores pequenos, não há a necessidade de componentes de precisão neste circuito, uma vez que nenhuma tensão e ou corrente será fixa, pois atuaremos externamente controlando tanto a tensão como a corrente, o trimpot de 10K, deverá estar como vem do fabricante, ajustado seu cursor no meio e nunca todo para qualquer um dos lados, montado como esta na foto acima, girando-o em sentido anti-horário aumenta-se a tensão máxima que teremos na saída da fonte, quando atuarmos no potenciômetro de tensão, recomenda-se que esse ajuste esteja 2,0V abaixo da tensão nominal AC do transformador, exemplo 32VAC, ajustamos a saída máxima em 30V DC, notem que esta topologia de fonte ajustável ignora a tensão de pico da tensão retificada e ainda desconta a tensão perdida nos semicondutores, com isso teremos quase 100% de potencia prometida na saída.


Circuito integrado LM324, regulador 78L05, TL431 e BC546 na foto da esquerda e conectores de entrada, saída, conectores KK, da fonte auxiliar de 12V e saída de tensão para medição, do voltímetro e amperímetro, pode ser utilizado qualquer medidor que trabalhe com uma alimentação de 12V e tenha sensibilidade de 5A e fundo de escala minimo de 30V.


Ponte retificadora, transistor NPN da fonte de 12V auxiliar, e MOSFET reguladores, nesta etapa utilizamos o IRF540N ou qualquer outro que tenha uma tensão de trabalho acima da tensão DC máxima de entrada, e com RDS mais baixo possível, mesmo IRF740N funcionam muito bem para este propósito, o dissipador em questão junto ao cooler, são peças chaves para a garantia de funcionamento, dissipador com nó minimo uma área de 120cm² e o cooler de 12V refrigerando o mesmo, os potenciômetros de ajuste, montamos na placa para teste de funcionamento d aplaca, porém aconselhamos que sejam fixados através de fios, para que possam ser fixados no painel do gabinete quando finalizada a fonte, o capacitor tanque DC está dimensionado em 940uF para cada ampere, mas como a fonte não leva em consideração a tensão de pico, poderíamos utilizar até a metade que a eficiência do circuito seria a mesma no final. e como o valor deste componente, em relação ao valor capacidade, vale o custo desta capacidade. Nesta etapa também fixamos os leds indicadores do CC e CV que deverão ser instalados no painel próximo ao potenciômetro de corrente led vermelho e potenciômetro de tensão led verde.


Neste ponto da montagem, verificamos as soldas e a posição dos componentes, afim de encontrar algum erro que passou desapercebido na sequencia, e só depois instalamos o dissipador de calor, este da fonte tem o código NT007-65 facilmente encontrado em lojas pela internet. Notem na foto a direita que a ponte retificadora também deverá ser encostada no dissipador, pois é um ponto que aquece muito neste circuito, assim com os Mosfet, também é preciso que estejam isolados do dissipador, pois seus terminais do centro estão ligados diretamente ao +vcc da fonte retificada de entrada afinal ninguém quer provocar um curto circuito no final da montagem e perder todo o trabalho feito até aqui.

Considerações finais sobre esta montagem;

- O aquecimento da ponte retificadora e dos IRF utilizados é alto, porque o tempo todo estão sob o regime do máximo da tensão DC retificada de entrada, o circuito OCP* foi sacrificado em pro do custo.

*O circuito OCP é responsável pelo chaveamento de tensão AC de entrada de acordo com a tensão de saída ajustada, proteção contra curto na saída etc. este manejamento da tensão de entrada, reduz a tensão sobre os reguladores em série, quando não utilizada a máxima potencia da fonte, que consequentemente reduz o calor dissipado e trazem os reguladores para a faixa de operação segura, (ver gráfico SOA no datasheet do componente) evitando que queimem facilmente e até permitam extrapolar, fechando curto circuito na saída para o ajuste de corrente, sem este circuito agregado a fonte ajustável, não existirá esta opção de ajustar a corrente de saída e nem proteção 100% contra curto circuito. Este circuito dobra o custo da fonte, além de exigir um transformador especial com múltiplas derivações de tensão.

- Transformador a ser utilizado 32V AC por 5 amperes. Porém respeitando a tensão necessária ao funcionamento do regulador de 5V do sistema (15V zener + 5V 78L05 + queda de tensão do semi condutor + faixa de tensão para a regulagem sugerida pelo fabricante), que é de 25V DC de entrada minimo e máxima de 45V DC, no ponto (+) da ponte retificadora.

O mínimo de AC de entrada, aceitável é de 25VAC, transformador de 2 fios no secundário (uma ponte retificadora ocupa menos espaço na placa - corte de custos) o timpot de ajuste de saída deverá ser ajustado para 23V ou 22V caso venha a utilizar um transformador de 24VAC. A fonte funcionará com todas suas funções, atuando de 0V á 23V, e corrente de 0A á 5A.

Observação a quem for montar.

- A placa fornecida pela loja, segue com diagrama, lista de componentes.

- Detalhes de ligação do transformador a placa, identificação de posição e terminais de componentes, não estão descriminados, motivos pelos quais estas informações serem básicas e cotidianas a quem já tem alguma experiência com eletrônica.

- O valores dos componentes devem ser seguidos a risca nesta montagem.

- Se não tiver um transformador que se enquadre nos exemplos citados, que podem ser utilizados, não compre a placa e ou inicie a montagem, aconselho a providenciar um transformador adequado.


- Não faça ligações fora do especificado e ou porque você acha que está fazendo o melhor, a placa foi desenvolvida para montar como esta, na sequencia acima das fotos qualquer discrepância na montagem é por conta e risco do montador.

- Não ligue e ou teste a placa sem dissipador, o calor dissipado pela ponte retificado e mosfet são alto a ponto de causar queimaduras e bolhas se tocado, sem dissipador não ligue a fonte.
- Proteção contra curto circuito, ao ter um valor resistivo baixo na saída, o amplificador de erro do controle de corrente vai derrubar a tensão de saída e acender o led vermelho, indicando que a corrente está baixa na saída, isso não protege contra curto circuito, pois mesmo tendo uma tensão baixa, o mosfets ainda estarão segurando a corrente da fonte e dissipando calor, o mesmo acontecerá quando curto circuitar a saída, portanto cuidado com curto circuito acidental.

terça-feira, 2 de maio de 2017

Soldador de precisão econômico

Em época de vascas magras, nada como adaptador o custo benefício a bancada de trabalho, seja ela hobbista e ou profissional, as estações de solda isoladas e controladas, sejam as típicas 936 e ou outras, mas comuns, tem fragilidades e hoje, qualquer substituição de partes do soldador da estação, giram em torno de 25 reais, o conjunto todo do soldador até mais de 150 reais, sendo o custo da estação a partir de 300 reais. 


Recentemente, troquei uma resistência da estação 936 da CT-brand, creio que seja TOYO, me custou 60 reais, dois suportes com rosca de baquelite dos soldadores 936 Hikari 25 reais e o da TOYO 910, por 12 reais, mais algumas ponteiras novas da hikari, preços variados a partir de 17 reais á 25 reais, ou seja, só de pequenos reparos deu mais de 150 reais, e a maioria dos problemas foram causados por força demasiada e alavancamentos de terminais de componentes, infelizmente os sodadores da estações não são feitos para isso, mas insistimos no erro, eis que cheguei a simples conclusão de fazer o proposto pela foto acima.  

1- soldador hikari
1 - Ponta de solda de estação de solda 936, 937.
1 - Dimer

Para o soldador, qualquer um que tenha o corpo da ponta de solda com diâmetro de aproximadamente 6 mm, os de potência de 40W á 60W usam a mesma ponteira e o furo aonde é preso a ponteira tem o diâmetro interno de 6,3 mm, sendo que as ponteira das estações de solda 936, tem o diâmetro externo do corpo de 6,4 mm.

Bem simples de se resolver não, basta remover a ponteira extremamente grossa original e com uma ponteira de amolar Dremel que caiba dentro do orifício remover esse 0,1 mm, até com limas cilíndricas é possível fazer com que a ponteira nova entre no furo.

Lembrando de não remover o parafuso fixador da ponteira, para que não gire a resistência do soldador e estoure por dentro, e fazer com calma até chegar no diâmetro que caiba a ponta nova.

No meu exemplo foi utilizado um soldador de 40W, na verdade ele é de 42W, a ponteira de solda, optei pela MTLB 0,4 mm pois ela tem 2,5 cm de comprimento, ideal para chegar em locais difíceis e fazer uma soldagem precisa, isso associado a robustez do soldador.

O dimer utilizei um a base do BT138, é a mesma caixinha de dimer que uso na retifica Dremel (que estragou o controlador de velocidade) é so plugar e controlar a tensão dele, assim chego na temperatura ideal de soldagem, sem queimar demasiadamente o soldador e nem estourar o local do componente com alta temperatura, o custo final ficou em 39 reais bem abaixo de soldadores de renome que utilizam pontas finas.

Não é isolada da rede porém nada impede que seja ligado a um transformador isolador de rede da bancada, mas o foco aqui é um soldador para soldar coisas pesadas, como terminais automotivos, pinos de transformadores e outros que exigem mais potencia da estação de solda e consequentemente acabamos pressionando mais o conjunto no ponto a ser soldado.

sábado, 22 de abril de 2017

Amplificador AB 100W

A pedido de um cliente fiz algumas plaquinhas de um amplificador que denominam de Strong, a seguir a sequencia da montagem que utilizei na unidade de testes, tenho apenas 5 unidades da placa, se alguém se interessar pode ser adquirida neste link AQUI.


Clique nas imagens para ampliar.


 Inciando com a colocação dos diodos, jumpers e suporte dos fusíveis, D3 á D5 deve ser obrigatório o uso de diodos de 1A, tipo 1N4007, diodos tradicionais de 100mA não vão suportar a corrente de polarização dos drives dos transistores de saída. Na segunda imagem, os resistores conforme lista de material da placa, não é necessário ser resistores de precisão, tirando os dois de 5W os demais são de 1/8W, os fusíveis pelos testes achei por melhor subir seu valor para evitar de ficar queimando a toa, quando há picos de mais de 6A por rail de voltagem.

Bornes KRE, terminal Faston, e conector de entrada KK, estas opções foram proposital já que adéquam melhor a necessidade, foi acrescentado mais uma tomada de GND, ficando +42V e GND e no outro GND e -42V, para o alto falante basta pegar um GND qualquer e o terminal Faston OUT, os transistores menores são BC546C e BC556C, já os drives são MJE340 e MJE350 (não se deve utilizar BDs de média potencia aqui, queimam com facilidade).


 Componentes finais, capacitores cerâmicos, poliéster e eletrolíticos, finalizando com um dissipador médio (foi preciso um cooler) nos testes obtive os resultados abaixo:

  1. Potencia de saída 100W em 4 Ohms.
  2. Ruído ao ligar quando a impedância não for casada adequadamente ou quando ligar sem um potenciômetro na entrada de baixo valor (10K).
  3. Ao desligar, quando a tensão de +vcc cair abaixo de 35V, o transistor NPN de potencia é levado a saturação e toda a tensão do +35vcc armazenada nos capacitores da fonte é descarregada via alto falante e GND. 
Dá para se usar sim, porém achei (minha opinião) muita coisa para a potência e qualidade final, já que serão necessários, casar a impedância de entrada com a fonte de sinal de áudio e utilizar um soft-start com proteção de alto falantes, e assim evitar o ruido na hora de ligar e a descarga DC sob o alto falante na hora de desligar.


Outro ponto a ser observado é que com tensões abaixo de 35V simétricos, o transistor NPN de potencia está saturado, ligar com o alto falante e ou ligá-lo após com tensão abaixo da citada de funcionamento, é curto circuito no +vcc, o que difere de outros circuitos amplificadores, que com tensões menores, apenas há distorção, bem provável que esse seja o motivo do não funcionamento de que algumas pessoas falam a respeito deste amplificador.


terça-feira, 18 de abril de 2017

Tutorial de montagem do vu meter SHC5500M

Este Vu-meter era empregado no sytem 3em1 modelo SHC5500M da marca CCE, trata-se de um circuito custo benefício para aquela época, são 5 leds por canal, distribuídos em série formando os 12V da alimentação, e em paralelo a uma rede resistiva, a qual garante o acendimento em sequencia da barra, mesmo que mínimo o efeito da barra, é eficiente ao propósito, pela quantidade e componentes simples, A placa pode ser adquirida em nossa loja clicando AQUI.


 Clique nas imagens para ampliar! 
Antes de inciar a montagem tenha em mãos todas as ferramentas necessárias e auxiliares a montagem, assim como a limpeza da placa com álcool isopropílico, a qual ajudará na soldagem dos terminais dos componentes. A direita a soldagem dos diodos 1N4148, são retificadores do sinal de áudio e a esquerda os resistores.


Os transistores NPN, inseridos a modo de que fique abaixo dos leds no final da montagem, afim de que somente os leds fiquem acima dos demais componentes, isso facilitará a fixação da placa ao painel de sua montagem final, o mesmo com os condessadores eletrolíticos, posicionados na vertical.


 Foi utilizado nesta demostração leds azuis e vermelho, essa modificação resulta em uma tensão final da quantidade de leds na ordem de 2 volts a mais no funcionamento do circuito, ao invés de 12V utilizando leds verde, amarelo e vermelho, com o azul e vermelho o funcionamento ideal ficou em 13V á 14V. Apos a inserção dos últimos componentes uma verificação da soldagem e trilhas, para verificar possível curtos circuitos e ou falhas, é só colocar a placa contra a luz da luminária.


Placa finalizada, na correria do trabalho não deu tempo de recortar as fotos e acabou saindo no fundo o aparato que utilizei no ajuste de altura do foco da câmera, mas ignorem a composição do fundo por favor. Abaixo o vídeo d aplaca funcionando em um amplificador com saída na potencia de uns 3W, como os leds são de alto brilho, a sensibilidade da câmera foi reduzida, o que deixou uma imagem ruim, porém é possível verificar o funcionamento. 

quinta-feira, 23 de março de 2017

Tutorial de montagem fonte regulador fixo 78XX com booster de corrente

Novo modelo, adicionado componentes atualizados e comuns, de fácil montagem e e amplac agama de utilizações, o regulador de tensão é a gosto, bastando que seja observado apenas o valor da tensão de trabalho dos capacitores. A placa pode ser adquirida Clicando Aqui.


A esquerda os resistores equalizadores do regulador 78xx w do transistor booster PNP, a direita a montagem com apenas dois diodos 6A10, este modo é para ser utilizado com transformadores de 3 fios no secundário, o center tap deverá ser ligado ao terminal GND d aplaca.


Para transformadores de 2 fios de secundário, deverá ser montado os 4 diodos 6A10, na foto da esquerda podemos observar o transistor PNP utilizado como booster de corrente, a placa aceita tanto um TIP2955, como um 2SA1943, a corrente de trabalho deste transistor ser somará com a corrente do regulador, lembrando que quanto mais alta a tensão de trabalho, menor será a corrente suportada pelo transistor booster, aos interessados, consultar o gráfico S.O.A.R no datasheet do transistor.

Tutorial de montagem Soft Start

Uma releitura da placa de soft start, publicado na revista elektor com o código 974078-11, foi atualizado o tipo de componente a ser utilizado, para os convencionais de nosso mercado, principalmente o relé utilizado. A placa pode ser adquirida em nossa loja, Clicando Aqui.


 O circuito elétrico continua o mesmo, respeitando a corrente de trabalho, a esquerda podemos ver os resistores que compõe a fonte por reatância e o limitador de corrente da tensão que encherá o capacitor da fonte fazendo com que o rele feche seus contatos NA que tem os resistores de 5W em paralelo a esses resistores.
 Os resistores de 5W, são de 10 Ohms, utilizei os de 47 ohms, apenas porque o circuito em que vou utilizar não necessita de tanta corrente para carregar os capacitores primários. Siga como no diagrama do projeto se for montar como no original. A direita o rele tradicional de 12V por 15A, o capacitor de filtro a qual leva algum tempo para carregar e armar o rele, pode ser de 470uF á 1500uF por 50V ele de certa forma determina o tempo que o rele permanecerá aberto, com o resistores de 5W em série com o aparelho a se alimentado.

 O espaço do fusível acomoda diversos modelos, desde os de cerâmica ao que são apenas suportes de latão, fica a gosto de quem for montar, a furação da placa aceita, terminais na posição vertical ou horizontal.

 O capacitor de reatância, pode ser utilizado diversos tamanhos, esta capacitor de poliéster metalizado é que determina o quanto de corrente teremos para alimentar o rele, valores menores próximos a 100nF por 250V o rele demorará mais para armar, e os 330nF por 250V, o rele leva menos de 1 segundo para atracar conforme descrito no artigo.


terça-feira, 7 de março de 2017

Como embalar kits montados com várias partes

Não é novidade este tipo de embalagem, porém com um pouco de papelão reciclado de caixas de produtos que recebemos na loja é possível fazer com que o kit montado, chegue a casa do cliente, nas mais prefeita condição possível, já que caprichamos na hora da montagem, porque não ter mais esse cuidado com a embalagem.

Papelão de boa qualidade quase nunca jogo fora, sempre preciso de um pedaço aqui e ali para reforçar e ou até mesmo fazer ou completar embalagens, uma vez que não tenho como ter uma caixa para cada produto, mas nada que folhas de papelão e cola quente não resolva.


Fazendo a base da área total que todo o kit vai ocupar, é só ir separando as partes e fixando tiras de papelão de modo que fiquem separadas e tudo bem acomodado. A desmontagem é simples e fácil, é só ir puxando as partes de papelão para ir soltado as partes do kit.


Fixando e dando estrutura a caixa, pequenos pedaços e outras tiras de papelão, ajudarão a fixar as placas de modo que não fique soltas dentro da caixa, assim evitando que se solte partes e que o cliente receba tudo emaranhado dentro da caixa.


Uma identificação do kit montado, plástico filme em volta e pronto, perfeito para guardar no estoque até que seja vendido, protegendo o produto final de poeira, e outras sujeiras que os produtos pegam nas prateleiras.

sábado, 4 de março de 2017

Fonte LM317 com BOOSTER de corrente V2.0

Tutorial de montagem da placa da fonte ajustável de 1,2V á 33V por 5 amperes, a placa pode ser adquirida clicando AQUI.

A modificação da placa corrigi a falta de itens, tais com o potenciômetro de ajuste fino, ponte de diodo com espaço para colocar o 6A10 e trás um regulador de 12V fixo com duas saídas, para alimentar complementos a fonte, como cooler e ou um módulo voltímetro.

A esquerda a inserção dos componentes pequenos, como resistores de 1/8W, 2W e 5W, sendo o resistor de 240Ω, o diodo 1N4007, filtros e transistor BC547do ajuste do regulador LM317, o resistor de 10KΩ e zener de 13V e filtro do circuito regulador de 12V e o resistor de 0R1Ω, equalizador do transistor booster e led indicador na saída. A direita temos a opção de montar apenas dois diodos para a retificação de transformador de 3 fios, 24V_0V_24V, usando apenas D3 e D5, note que deverá ser utilizado o GND que está  sob os diodos D2 e D4 para o 0V.
 Já com a opção de ponte retificadora utilizando D2, D3, D4 e D5, e os dois fios do transformador deverão ser ligados em AC1 e AC2. A direita temos os conectores de saída e terminais auxiliares dos 12V.

Instalando os transistores e regulador, a esquerda o transistor PNP booster de corrente, ao centro o regulador LM317 e a direita o TIP 41C configurado como regulador em série de 12V, podendo fornecer 12V sob 1A, todos os três deverão ser colocados ou fixados em dissipador compatível, cada um com seu respectivo isolador elétrico, bucha isoladora e parafuso.


Preparando o potenciômetro de ajuste fino, essa dica é necessária caso se venha a utilizar o potenciômetro fixo na placa e evitar que o mesmo venha a entortar os terminais e até mesmo quebrar, basta soldar um pino dourado na carcaça, a placa já conta com a posição deste terminal, já o potenciômetro de ajuste grosso, propositalmente escolhido como duplo, para termos maior resistência mecânica e poder controlar mais corrente, sendo que em paralelo a ele há o transistor BC547 que atua como cão de guarda caso o potenciômetro venha a falhar e elevar a saída ao máximo da fonte, caso venha ocorrer o transistor põe o terminal de ajuste do regulador ao GND e a saída ficará em 1,2V.

Adicionando o dissipador, este utilizado pode ser encontrado facilmente no mercado eletrônico, com o código NT006-50 com dimensões de 60x 50x 25 mm, esta medida é para ser utilizado com ventilador, sempre resfriando o dissipador, se for utilizar apenas o dissipador, o mesmo deverá ser compatível com a dissipação de pelo menos 150W. Os capacitores de filtro da retificação deverão ser colocados por ultimo, pois se colocados antes, atrapalharão a fixação dos transistores ao dissipador, estes capacitores tem seu diâmetro de 16 mm tipico para capacitores de voltagem de 35V.


 Após a soldagem de todos os componentes, fazer a limpeza com álcool isopropílico e inspeção visual ou até mesmo colocar a placa contra a luz a fim de detectar alguma falha causada pela soldagem, se tudo certo a placa já esta pronta para uso, é só alocar ela em um gabinete de sua escolha, o custo médio total desta montagem dependerá do preço local, algo entorno de R$50 reais, não levando em conta fretes, caso venha comprar o material pelos correios, nesse caso poderá haver um aumento no custo final de até 50% do valor base.